.posts recentes

. HAPPY B-DAY TO ME!!

.

. A Thousand Years

. Remember what not to do

. UALG - ESGHT 10 anos

. Dias do caraças!!

. Sapatinho lindo de sua mã...

. Wild

. Pois é!

. Encerramento oficial das ...

.Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.links

Quarta-feira, 8 de Outubro de 2008

Opiniões

 

Cheguei a casa…
 
“São 8h00 e o despertador toca Justin Timberlake para bem me acordar…bahh mais uma vez ainda antes de abrir os olhos passa-me diante dos olhos o dia que me espera… estou cansada! Começo a imaginar mil e uma desculpas para não ir trabalhar… dormi mal, tive uma insónia, estou doente! Desculpas para quê? Desculpas para quem?
Como eu queria ficar em casa, dormir até mais tarde, ouvir música, passear, apanhar sol, fazer um bolo ou até arrumar a casa… fazer qualquer coisa que não me fizesse vestir, maquilhar, calçar o salto e por o meu melhor sorriso para mais um dia!
Vai ser mais um daqueles dias que vou chegar ao final do dia e gritar pelo menos dez vezes “Mas porque é que eu dei uma de independente e não me casei e não virei dona de casa?”
Ah ah ah
Hoje, por acaso, começei mesmo a divagar com os meus colegas sobre o assunto “Independência Feminina” e eis que me surge um email cheio de conteúdo interessante acerca do tema e dai surge o verdadeiro ponto deste post…
Afinal quem terá tido a excelente ideia de que a mulher deveria reivindicar os seus direitos? Eu digo-vos, foi uma senhora de seu nome Beth Friedman… Esta senhora que num dia qualquer se deve ter lembrado que não gostava de soutiens ou de espartilhos semeia a semente da rebeldia entre outras quantas e decidiram todas lutar pelo “seu espaço”… (mas onde é que estas senhoras andavam com a cabeça???? Afinal um soutien faz milagres e um espartilho puxa pela cabeça de qualquer um e transforma a figura mais vulgar na mais esbelta… bah antiquadas!) Por esta altura a mulher detinha o domínio total de um homem, eles dependiam delas para comer, beber, vestir e até para se exibirem aos amigos… até aqui já chegamos todas e todos à conclusão “Mas afinal para que é que andaram para ai a lutar pelo espaço? Burras pah!” Mas agora, nos dias que correm, temos ai os “nossos” homens todos confusos, não sabem qual o seu papel na sociedade, fugindo de nós como o diabo da cruz!
Pronto, a brincadeirinha das mulheres revoltadas encheu-nos de deveres lançando-nos num mundo cheio e ao mesmo tempo vazio!
Se pensarem bem, antigamente, um casamento era “até que a morte nos separe”…
 Se pensarem bem, porque é que um sexo que tinha tudo do bom e do melhor e que só tinha que se preocupar em ser frágil se lembrou de se armar em independente e trabalhador? Começamos a ficar mais expostas, começamos a correr mais riscos, começamos a ter mais obrigações e mais responsabilidades, começamos a exigir mais e mais de nós, temos que estar em forma, sem estrias ou celulite, bem depiladas, sorridentes, perfumadas, manicure bem-feita, um curriculum bem recheado…
Enfim viramos super mulheres mas com a agravante de continuarmos a ganhar menos do que os homens, lavamos, passamos, cozinhamos e quando é o caso ainda tratamos dos filhos… ah e dividimos as despesas da casa!!!
O que devemos fazer afinal? Abdicar do nosso pedestal para viver no conforto caseiro em que a nossa única dúvida seja qual a toalha de mesa a utilizar nesse dia para agradar ao marido ( e perdoem-me todas as donas de casa porque também digo isto com todo o respeito) ou manter com unhas e dentes o nosso posto de trabalho e demonstrar que nos conseguimos mais e melhor do que eles, que também temos mérito e que merecemos muitas vezes ganhar mais do que eles?
Num dia destes estava no desabafo via msn com uma excelente ouvinte, amiga e futura companheira de viagem, que me falou de um filme com o Sr Jack Nicholson, "Somthings Gotta Give”, e com o facto de o senhor na tela passar a envolver-se com miúdas fúteis e novas, até que um dia conhece a mãe de uma delas e há o tal clique… isto porquê? Porque no fundo o que se quer quando se chega a casa no final de um dia, no final de uma vida, é alguém que fale a mesma linguagem que nós, que partilhe dos mesmos interesses, que partilhe as nossas paixões… podemos passar uma vida a pensar que gostamos de branco e na realidade é o vermelho que nos faz felizes… espero que tenham captado a mensagem ;)… não me estou a perder…
E isto tudo para concluir que sim a mulher está cada vez mais inteligente, mais independente, mais trabalhadora e isso intimida, assusta e afasta “o” homem e eles acabam por optar por caminhos mais fáceis e menos inteligentes, porque não dão luta, porque fazem o que lhes mandam, porque só respiram!
Por isso meus amigos e minhas amigas expressem por favor a vossa opinião sobre o meu rasgo de inspiração (ou não) de post e digam-me:
Concordam que as mulheres estão de facto a assustar os homens?
Homens estão a sentir-se ameaçados por esta “era de terror”?
E afinal andamos aqui todos no branco e realmente queremos vermelho na nossa vida?
 
Fico a aguardar…
 
 
 
Misteriously J
sinto-me: curiosa
música: Somewhere only we knew

publicado por thestarsareshining às 00:08

link do post | comentar | favorito

9 comentários:
De Mickey a 8 de Outubro de 2008 às 00:46
Por pontos:
- se eu acordasse a ouvir Justin Timberlake também me sentia enjoado. É daquelas inevitabilidades da vida, como o caixote do lixo precisar de saco, mas não vir equipado com isso, tem que ser comprado à parte, tal como umas reles pilhas do carro tele comandado.
- todos os dias a primeira coisa que penso quando acordo é "se ainda estudasse, deixava-me já dormir outra vez".
- a verdade é que as grandes feministas foram machistas disfarçadas. A Beth Friedman deitou fora os soutiens porque sabia da dificuldade que é desaperta-los so com uma mão (a menina que inventou o colchete, essa sim era feminista e muito púdica por sinal, velcro não bastava?), a Mary Quant encurtou as saias porque sabia que homem que é homem gosta de admirar pernocas ao léu, as sufragetes exigiram direito ao voto porque os homens também têm direito a dormir ao domingo de manhã, depois de uma noitada de copos e quanto ao fim da mulher domestica e inicio da mulher profissional, bem alguem reparou que o homem não podia fazer todo o trabalho de sapa no desenvolvimento da Humanidade e que também precisa de tempo para beber uma mine e jogar uma snookada com os amigos. Afinal de contas vivemos na era do Homo Sapiens Sapiens, ninguem falou em Homo Escraviens Trabalhiens caramba e agradecem-se smepre mais umas mãos para ajudar (sem pornografias, atenção).
- sinceramente parece-me que são as mulheres que afastam o homem por estarem horrorizadas com a hipotese de nãos erem levadas a serio por um Mundo que, admito, ainda é prodeminantemente patriarcal. Desta forma encaram tudo como se não houvesse amanha, muitas vezes priviligiando a vida profissional, conseguindo superar o homem a todos os niveis pois estes aprtem do principio que já não têm nada a provar. Na minha singela opinião, o Mundo só será verdadeiramente matriarcal quando for abolido o Dia da Mulher, porque a igualdade passa por ai, cortar todos os laços com a "diferenciação"
- mas há alguma coisa mái linda que uma mulher??


De thestarsareshining a 8 de Outubro de 2008 às 00:58
Bom ponto de vista... confesso que tinha uma vista singular sobre a mulher afastar o homem e não a mulher afastar-se sozinha...
Relativamente ao dia da mulher também já expressei a minha opinião em relação a esse dia... não concordo com a existência do mesmo... mas também como é que se poderá abolir o dia?
De facto tenho que te tirar o chapeu pela opinião expressada... ainda não me tinha escorrido pensar "como um homem" e tu também poderás não estarlonge da verdade... els andem ai ;) lol
Em relaçºao ao Justino...epah nem sei pq ainda não troquei a musica...mas também não vou trocar!
E é de louvara última frase... oh Mickey quase que me comóves!!! ah ah ah
p.s. já imaginas-te o que seriam soutiens com velcro? a piada não seria a mesma... já têm a facilidade de uma mini saia já vos chega!!também não querem ter trabalhinho nenhum voces hein!!!já o amendoim todo descascado é que é não?
lololol

kuss***


De Lindona a 12 de Outubro de 2008 às 20:49
Chorei com a última frase!
Constantino for President!
Tenho dito!

;)




De Lindona a 12 de Outubro de 2008 às 20:54
Eskeci-me de manifestar também a minha profunda revolta com aquilo que é hoje o Dia da Mulher.
Faz-me lembrar o mesmo problema com o 25 Abril '74:
- quem fez as revoluções destes dias, não foi infelizmente que assumiu depois as aspirações avante.
- quem hoje os celebra, fá-lo totalmente ausente do ideal. Por exº: não me parece que as senhoras que estivessem na fábrica que ardeu naquele 8 Março, estivessem em cima da bancada, com os copos, a mandar piropos a um potencial stripper que estivesse presente... não sei... não encaixa...

;)

bjs


De thestarsareshining a 12 de Outubro de 2008 às 23:11
Epah abaixo com a porra dos dias revoltantes ;)
O Mickey está lá...definitivamente!


De Mickey a 13 de Outubro de 2008 às 01:09
O Mickey está lá....onde??? Nos dias revoltantes??
Abaixo os dias revoltantes, excepto se forem feriados. Neste caso vale tudo, ate comemorar a Aparição da Virgem na Cova da Iria.
Linda, nisto das revoluções quem se lixa é sempre o povinho. Se a coisa dá para o torto enchem-se as masmorras de gentalha da rua que só perturba a ordem publicas, se a coisa corre bem os herois metem a arma debaixo do braço agarram a sachola e no ancinho e vão plantar batatas enquanto os colarinhos brancos saem do armário para se colarem à poltrona do poder. É a velha história do Rei que só vai à guerra para contar os mortos ou do pais africano que lutou pela independencia para morrer à fome enquanto o seu presidente vai às compras a Paris (alô Luanda, tais móvir brotha, dança kuduro). No caso do Dia da Mulher não critico a forma como é celebrado , apenas critico a existência do mesmo. Achas que não cola a relação fábrica a arder/mulheres em extase com o stripper, eu acho que não cola Dia da Mulher/Dia da Árvore/Dia dos Animais/Dia da Música etc etc. Nestas coisas a logica é uma batata, mas ....


De Lady B a 21 de Outubro de 2008 às 10:19
Como uma boa "feminista", sou obrigada a partilhar:

Mais alto, sim! mais alto, mais além
Do sonho, onde morar a dor da vida,
Até sair de mim! Ser a Perdida,
A que se não encontra! Aquela a quem

O mundo não conhece por Alguém!
Ser orgulho, ser àguia na subida,
Até chegar a ser, entontecida,
Aquela que sonhou o meu desdém!

Mais alto, sim! Mais alto! A intangível!
Turris Ebúrnea erguida nos espaços,
À rutilante luz dum impossível!

Mais alto, sim! Mais alto! Onde couber
mal da vida dentro dos meus braços,
Dos meus divinos braços de Mulher!

(By Florbela "Punhadão")


P.S. De qualquer forma adoro homens :)
Jo confessa la o que faziamos sem eles???

Beijinhos


De thestarsareshining a 21 de Outubro de 2008 às 10:27
Epah Lady B agora é que me deixas-te sem palavras...
Sem eles nada tinha piada ;) onde teriamos os nervos miudinhos de um primeiro encontro, os jogos, os filmes, a conquista, o flirt e o encanto...sim eu também sou uma feminista que gosta muito d'eles :)


De Miss. M a 2 de Novembro de 2008 às 12:51
Cara M. J:
Realmente os papéis mudaram, diria até, evoluiram!
Se antes o destino era fatalmente traçado por um marido, filhos e um fogão a lenha, hoje as coisas já são bem diferentes.
Apareceu a Bimby e a formação familiar já não é uma imposição obrigatória, mas sim, facultativa. Mas lá p or as coisas se terem modernizado isso não quer dizer que se tenham atenuado. Pois, porque para além da mulher continuar a fazer a maior parte das coisas em casa, tem também o seu trabalho e os seus objectivos laborais a atingir.
Passa-se a uma multiplicação de tarefas, mas e depois?! Qual o problema? Gostamos de desafios e quanto a isso não podemos fazer nada :)
Sim, também concordo que "eles" dão o "colorido especial" nesta vidinha!
Tal como alguém disse: "Nem com eles, nem sem eles..."
Beijo*


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.arquivos

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds